quarta-feira, 28 de novembro de 2012

A Dor da Minha Dor



       Olhos nos olhos, assim, bem direto:
       - Vou embora. Gosto de você, mas só como amiga, não tem jeito!
       A princípio nem entendi! Como? Não gosta mais de mim? Gosta só como amiga? Deixei de ser a mulher, a esposa, a amante? Como assim? Deixou de me amar? Quando? Em que momento? O que foi que fiz pra isto?
       Isso aconteceu há vinte e nove anos. E era a quarta vez que acontecia. O meu casamento já abrigava esses desencontros dentro do pouco mais de oito anos de acontecido. Minha primogênita tinha sete anos e a caçula era um bebê de um ano e um mês. Das duas, a que sempre expôs a imensa dor que sentia com a ausência daquele pai que partia e voltava, voltava e partia, era a mais velha. Sofria, sofria, sofria. Chorava cântaros de saudade. E, depois da quarta e última separação, ele sumia, sumia, sumia. Ficava um ano, dois, até três sem aparecer para vê-las. Às vezes eu tinha a impressão de que ele não as reconheceria na rua se as encontrasse com outra pessoa. Principalmente a caçula, da qual se afastara quando ainda era um bebê. Ela era uma completa estranha para ele: não sabia de sua voz, de seu cheiro, de suas expressões de alegria,  de tristeza, da carinha de febre ou de medo. A mais velha curtia sua ausência escutando músicas de John Lennon (que ele adorava e tinha até semelhanças fisionômicas) e chorava copiosamente.
       O término de um casamento é muito doloroso quando ainda gostamos do parceiro. E é mais doloroso ainda quando ouvimos desse parceiro, que está indo embora, que não nos ama mais ou que talvez nem tenha nos amado, tendo confundido amizade e tesão com amor. E eu ouvi. Por quatro vezes. Burrice? Falta de auto-estima? Ingenuidade? Distúrbio mental? Não vou deter-me mais em minha história. Nesse momento ela é apenas necessária para alinhavar o que me fez ficar recolhida por esses dias.
       Minha primogênita, a mãe dos meus netos adoráveis e amorosos, casou-se há treze anos, após dois anos de namoro e noivado. Com as minhas economias fiz, do dia do seu casamento, um conto de fadas para a jovem romântica que aprendera a amar os Beatles e os Rolling Stones como seus pais, melhor, como seu pai. E naquele genro, responsável e atencioso, jamais percebi um traço sequer de possibilidade de que a minha filhota fosse repetir a minha história. Eram felizes, assim me parecia. Não felizes daquela felicidade irreal, imaginada, fantasiada, teorizada: também tinham pequenas rusgas do dia a dia de qualquer casal, aliás de qualquer ser vivente que co-habita. Afinal somos seres diferentes uns dos outros, graças a Deus. E onde não combinamos, o amor encontra o jeito de harmonizar o fato.
       Mas não sou a pitoniza do oráculo (embora neste momento quisesse ser). Portanto, caí de bunda na terra quando, em prantos, há três meses, minha filhota, minha flor de maracujá, contou-me que o marido tinha lhe pedido o divórcio. Motivo? Não a amava mais. Não combinavam mais. Havia saturado do casamento. Queria viver a sua vida e cuidar de si e dos seus sonhos. Onde não mais cabiam uma esposa e dois filhotes. Mas, e as crianças? Perguntou-lhe minha filha, aflita e doendo. As crianças? Ah, respondeu, não são o centro do universo, se acostumam.
       Há três meses. Sempre soube que não podemos poupar nossos filhos, nossos tesouros e maiores bens, das dores e mazelas que têm que passar. Enquanto pequenos, tentamos e, às vezes, temos um certo sucesso. Mas, depois, principalmente no caso em questão, só podia e posso ouvi-la, secar suas lágrimas, fortalecer sua auto-estima, caminhar com ela como fazia quando era bebê: segurando-lhe doce e firmemente a mãozinha (ainda tem as mãos pequenas, alvas, finas e delicadas). E, para ajudá-la nessa nova aprendizagem, revisito minhas feridas cicatrizadas, percorro trilhas como quem faz o caminho de volta. 
       Que irônico! Ela sentiu a dor do abandono do pai. Eu senti o abandono do homem. Ela sente a dor do abandono do homem. Eu sinto a dor de vê-la machucada e atônita porque não entende que o homem, que prometeu jamais agir como o seu pai lhe fizera, repete o mesmo padrão. Então entendo a dor de meus pais ao me verem sendo abandonada com duas filhas, ao me verem sofrer porque julgava-me o pior dos fracassos e transformava-me numa espécie de espectro com forças suficientes apenas para sobreviver naquele tempo. Como doeram os pobrezinhos dos meus pais com tudo o que me aconteceu e às meninas! Vivi, como mulher, a dor do desprezo do meu marido-amor e, como mãe, o sofrimento de minhas meninas que transformavam-se em órfãs de pai vivo (que mania que certos homens têm de, abandonando suas mulheres, divorciarem-se também dos filhos!). Agora, vivo o papel dos meus pais: sou a mãe e a avó que se esgarça para reerguer a filha e os netos que sofrem o abandono.
       São dores da alma, da emoção, do psicológico. Há muita gente passando por isso, bem sei. Não sou a única nem serei, lamentavelmente. Outras avós, mães e outros filhos, ainda doerão. Um coração partido assim, deste modo cruel - deixar de ser amado sem um motivo que a nós pareça lógico e consistente e não apenas o "saturei" - leva um bom tempo no CTI, sei disso. Cura, também sei disso, mas a cicatriz vez por outra (em situações deste tipo, por exemplo) volta a arranhar como se existissem pontos que a carne não absorveu.
       Também sei que, perto das dores de mães a velarem os corpos rígidos pela morte ou os corpos doentes de seus filhos, ainda tenho muito a agradecer. Como falei na postagem anterior. Agradeço a dor que me faz amar a inteireza do corpo, da alma, do psicológico, da moral.. Agradeço a oportunidade de poder servir, ainda com discernimento e saúde, a vida, através da ajuda à minha filha e aos meus netos. 
       A dor da minha dor curva-me perante a divindade e me faz agradecer e cantarolar "Deus está aqui, Aleluuuia, tão certo como o ar que eu respiro, tão certo como o sol que se levanta...!"
       
        Cléa Siqueira

44 comentários:

  1. Oi querida

    Que sorte da sua menina ter uma mãe assim, presente e disposta a ajudar a superar tudo isso, que imagino, não seja fácil!

    Já passei por situação parecida e fico imaginando... pros braços de quem eu correria? Pra quem pediria colo já que não tenho mais os meus pais...

    Espero que tudo dê certo, embora como vc disse, é tão ruim quando ainda gostamos do outro.

    Qualquer coisa, estou por aqui e fico torcendo pra que tudo termine bem.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andréa, minha menina,

      Sorte minha também ter as filhas que tenho: amigas e companheiras! Não posso faltar com elas e, confesso, já faltei. Com o peito doendo, mas faltei. Porque o fato de sermos mãe não nos faz mágicas (embora, às vezes, façamos mágicas, claro que com a ajuda divina e levamos a fama! rssssss) e houveram momentos em que não pude estar perto, não pude evitar, não pude salvar. Mas...
      Querida, pode correr pro meu colo (estou distante geograficamente, mas tão próxima de vc que nem imagina!), não se avexe! Mas Deus não quer que vc precise do colo de ninguém, ele a quer feliz, sempre!
      Tb estou torcendo para que tudo se aquiete. Torcendo e rezando. Na verdade, estou entregando pra Deus, que é quem sabe das coisas. E exerço o meu papel.
      Bom sabê-la aí, sinto o coração afagado e mais leve.
      Bjsssssssssssssss, quérida!

      Excluir
  2. Léia querida, o título da sua postagem foi muito bem escolhido e perfeito para muitas mães que sofrem a dor de um filho, que é uma das piores dores que possa existir. Conheço um pouco mais sua história e da sua filhota e fico aqui imaginando o quanto vc está sofrendo, de ver sua filha sofrendo. Que bom que voces estão unidas, e vc dando-lhe colo, alento, amparo, e torço, assim como torço por minha filha que ela consiga sair dessa, cicatrizar essa ferida, e aliviar o coração de ambas. Um grande beijo minha amiga. Fiquem com Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida amiga Josy,

      Você sabe o que é sangrar o coração por conta de filho que dói. Dói duas vezes.
      Você tem sido muito companheira desde que nos conhecemos aqui pela internet e, de fato, sabe mais de "pertinho" como me relaciono com as filhotas.
      Tem sido bem difícil, minha amiga, bem difícil mesmo. Mas, sabe como é, não desisto de quem amo nunca! Daí que estou aqui! Além de tudo, conto com a torcida, fé e orações dos meus amigos virtuais! Sou muito abençoada, querida Josy, muito!
      Lembra daquele e-mail que lhe enviei falando das suas bençãos? Pois é, também tenho as minhas e não são poucas, graças a Deus!
      Obrigada, minha amiga, e dê notícias! Estou com tanta saudade!
      Bjssssssssssssss, quérida!

      Excluir
  3. Oi Cléa!
    Nooossa menina que dolorido! Suas palavras têm o travo da dor, do sentimento mais cru de um pai/mãe que vê seu filho sofrer e nada pode fazer para remediar totalmente. Preferirámos que fossêmos nós, pois estamos mais calejadas na vida, mas infelizmente não é. Vejo minha filha não receber a valorização que merece e se deixar levar assim como se não percebesse e sei que não é fácil. Que Deus ilumine o caminho de sua filha e dê forças para você ajudá-la com seu amor.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Valéria!

      É, é mesmo muito dolorido ver a história da gente - que não foi boa - se repetir na vida de uma filha.
      Preferiríamos mesmo que fosse conosco, mas não é possível: cada um constrói e trilha a sua trajetória. Até porque o aprendizado para a evolução está no caminho, no percurso, no "enquanto não chego", né não? Quantas descobertas dos outros e de nós fazemos!
      Muito obrigada, minha querida, pela torcida e fé! Tudo o que quero neste tempo é, de fato, ajudá-la na caminhada, fortalecê-la.
      Bjsssssssssssssss, quérida!

      Excluir
    2. Cleá,
      está tudo escrito aí, não faltou uma vírgula de decepção,um ponto de lamento, uma interrogação de dor, desta que rasga a alma, atomiza os atos, reverbera nos dias, porém, ela mesma, esta dor da perplexidade, da revolta ante o incompreensível, será coluna de sustentação para cada próximo amanhecer, trazendo a cada dia a certeza que vai passar um dia...ah,isso vai!
      Que a Força e a Luz Divina lhes acordem a cada manhã.
      Meu abraço fraterno às duas.
      Bjos,
      Calu

      Excluir
    3. Minha querida Calu!

      Estou saudosa, mas vou, aos poucos, diminuindo esta sensação.
      Há tanto tipo de dor, né? O importante, principalmente, é equilibrar-se durante o processo de cura. E como somos bem amparados pela divindade, assim tem acontecido.
      Claro que nuns dias chove, em outros bate sol, a coisa vai clareando e vamos nos fortalecendo.
      Com toda essa corrente boa dos amigos, tenho certeza de que vai passar!
      Muito obrigada!
      Bjsssssssssssssssssss, quérida!

      Excluir
  4. Que ódio. Como é que pode? Como é que para certos homens é fácil dizer "tchau", "fui". Isso não é pai, apenas genitor. Mas melhor as crianças ficar com ela do que ter que brigar por elas. Mas que sujeitinho...
    Ela vai dar a volta por cima sim. Imagino a dor dela e sua, mas isso vai passar e um dia seus netos irão perceber a mãe e avó que tem. Fique tranquila.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maristelinha do meu coração!

      Sabe o que mais adoro em você? A sua espontaneidade! Meu Deus que coisa mais linda esta sua alma assim exposta! Gosta, gosta, ama, ama, detesta, detesta, tem raiva, tem raiva! Pronto! Que maravilha!
      Também senti raiva! Também fiquei perplexa! Ainda fico. Também me fiz (e faço) estas considerações sobre certos homens!
      Mas, um dia após o outro, cansamos. E temos que alforriar a quem nos magoa tanto. Libertá-lo. Deixá-lo seguir para que também nós consigamos ir adiante.
      Minha filhota está criando outros planos, ensaiando outros sonhos, rascunhando estratégias. Algumas mais definidas, outras apenas esboçadas. Mas é um começo. Um bom começo.
      Obrigada minha amiga pela força, crença e esperança.
      Bjssssssss, quérida, Deus a abençoa!

      Excluir
  5. Gente, por hora agradeço o carinho e peço orações e vibrações positivas para mim, meus filhos amados e meu marido.Mentalizem minha familia junta, unida outra vez, por favor, certo?
    O coração está doendo muito.Não consigo escrever muito agora...mas me senti na obrigação de escrever para agradecer.
    Assim que eu conseguir escrevo mais um pouquinho, ok?
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha flor de maracujá,

      Estou aqui.
      Bjsssssssssssssss, líndica!

      Excluir
  6. Querida Cléa,

    Impossível ler seu relato do início ao fim sem sentir os olhos marejados de lágrimas ao longo da narrativa. Sua dor está expressa de forma quase palpável de tão real! Mais do que isso, é de fato a dor da sua dor, ou seja, a tristeza de ver repetido um capítulo sofrido na história até então bela de um filho muito querido...
    Li também o comentário muito prudente de Danny, solicitando orações e vibrações positivas. É nisso mesmo que acredito: olha positivo para a vida, e um coração grato até mesmo na adversidade, como você mostrou ser o seu coração. Por tudo isso, tenho motivos para crer que tudo ficará bem. Você, sua filha e seus netos apoiarão e fortalecerão uns aos outros para enfrentar essa decepção que não tem explicação, pois "não te amo mais" não é argumento que se apresente! Especialmente num casamento que já tem frutos... Acredito que, com o passar dos dias, a poeira baixará e tudo tomará o seu devido lugar. Quem sabe esse marido não se arrependa e volte para o lar? Mas se isso não acontecer, sua filhota amada encontrará no teu amor de mãe e nos próprios filhos aquilo que precisa pra se reerguer e reconstruir sua vida. Houve, no capítulo em questão, uma vírgula imprevista... Mas, acredite, vem aí um novo parágrafo e ele será muito mais rico, mais maduro, mais bem escrito!

    Força, minha amiga, pra você e pra Danny. Um abraço apertado nas duas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Suzy!

      Reencontrá-la, com este jeito delicado e solidário é um bálsamo!
      Meu coração, grato na adversidade, foi descoberto desde o início do meu primeiro casamento, quando não me sentia com direitos de voltar-me contra a divindade, uma vez que tinha já tantas bençãos!
      Isto não significa que, num primeiro momento não me rebele, não sinta raiva, não doa, não fique p da vida, claro que não! Sou tão humana quanto qualquer mortal! Mas não são sentimentos que retirem a minha visão do entorno, do que possuo de mais importante e agradeça.
      Muito obrigada, minha jovem amiga, por este carinho todo, esta delicadeza e empatia nas suas palavras de força, fé e esperança.
      Bjssssssssssss, quérida, Deus a abençoa!

      Excluir
  7. OI CLÉA!
    EU QUE VENHO AQUI SEMPRE PORQUE SEI QUE SAIREI COM A ALMA LAVADA E ALEGRE POR TEUS ESCRITOS SEMPRE HILARIANTES, HOJE, MEU CORAÇÃO SE CONTRAI, TRISTE, PORQUE SEI QUE APESAR DE TERES SOFRIDO A MESMA SITUAÇÃO, AGORA TE DÓI MUITO MAIS PORQUE A DOR DE UM FILHO, A SENTIMOS EM DOBRO.
    QUEM MELHOR DO QUE TU PARA SEGURAR A MÃO DESTE FILHA QUERIDA QUE HOJE CHORA, MAS QUE EU E TU SABEMOS, DARÁ Á VOLTA, CICATRIZARÁ AS FERIDAS E SE "DEUS" QUISER, E ELE QUER, SAIRÁ FORTALECIDA E COM ALGUÉM QUE A QUEIRA DE VERDADE.
    TAMBÉM NÃO CONSIGO ENTENDER COMO UM HOMEM FAZ ISTO E SAI DO RELACIONAMENTO, LIVRE, LEVE E SOLTO, COMO SE DIZ, SEM PENSAR NA DOR QUE ESTÁ CAUSANDO A ESTES FILHOS QUE NÃO PEDIRAM PARA NASCER.
    MAS, CERTA VEZ OUVI ALGUÉM DIZER, QUE HOMEM SÓ É VERDADEIRAMENTE PAI, ENQUANTO ESTÁ COM A MÃE.
    ESPERO QUE ISTO NÃO SEJA GENERALIZADO E QUE CAIAM EM SI, PENSANDO SOBRA A DOR QUE ESTÃO CAUSANDO AOS PEQUENINOS.
    TENTEI VIR AQUI ONTEM, MAS, NÃO ENTRAVA COMENTÁRIO NENHUM, HOJE ENTENDI O QUE DIZES LÁ NO "SÓ PRA DIZER" A RESPEITO DE MEU TEXTO.
    AMIGA, QUE DEUS TE DÊ FORÇAS E SABEDORIA PARA AJUDAR A TUA FILHA E NETOS NESTE MOMENTO, MAS, SABES BEM, QUE DEUS NÃO DESAMPARA, VOCÊS DARÃO A VOLTA. COM TODA A CERTEZA.
    ABRÇS


    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, minha querida amiga Zi,

      É com uma grande paz que recebo e leio suas palavras de solidariedade e carinho.
      Tudo o que disse para mim, sei que é sincero e partilhado: você é mulher, madura e mãe. Nós, que já vivemos mais, sabemos que o tempo é um bom conselheiro e um restaurador de forças.
      Sabemos ainda que somos capazes de coisas que nunca imaginamos, que na hora do aperto é que nos descobrimos com uma força que vira o mundo pelo avesso!
      Obrigada amiga, pelos pensamentos de força e fé!
      Bjssssssssssssssssssss, quérida!

      Excluir
  8. Oi Cléa :)
    Tenho pedido muito a Deus por vcs,pois essa situação é triste,e só a família que passa por essa experiência dolorosa,sabe como é...
    Na minha família essa dor emocional existe até hoje.
    Mas ainda bem que Deus nos fortalece e cuida de nós,assim como está fazendo com vocês.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Clauzinha!

      Mina doce amiga, muito obrigada pelas orações, pela empatia com o problema, com a força e confiança que me transmite. Obrigada mesmo!

      Só a grande confiança no Deus que escolhemos para seguir é que nos sustenta e ampara mesmo, porque Ele é Pai bondoso, o Pai verdadeiro!
      Bjsssssssssssss, quérida, Deus a abençoa!

      Excluir
  9. Cléa, passei por isso. Tenho uma filha que foi, literalmente, abandonada pelo marido, com 3 anos de casamento e um bebê de 7 meses. Ele simplesmente saiu pela porta, sem aviso, e não mais voltou. Mas era algo meio esperado, um casamento em que nem ela levava fé. Já tinha começado errado. Enfim, ela já tinah sofrido aqueles 3 anos, foi um alívio a separação. Ele é um pai presente, tem adoração pela filha, hoje com 4 anos, um amor de menina. No caso, ele se separou da mãe, não da filha. Ponto pra ele, pelo menos.
    Sua filha vai se recuperar, você sabe disso, as crianças também entenderão, com o tempo. Acho que sofremos mais do que eles.
    Fé, sempre. Sua menina ainda vai ser muito feliz.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lucia, obrigada pela força e carinho!
      A questão é que, como o casamento deles era tido até como exemplo, foi uma surpresa e tanto para todo mundo. Principalmente para ela! Que, inclusive, ainda não acredita e nem quer acreditar que o marido se foi! Não se conforma. Rebela-se. Está num quadro depressivo. Julga que nunca mais vai ser feliz pois só vê a felicidade com ele, com a família toda, inteira!
      Bem, espero que seja questão de tempo, que não seja necessário uso de medicamentos ou afins. Maas...
      Vida que segue. Estou nela. E sigo.
      Que suas palavras sejas mas de um anjo!
      Bjsssssssssssssssss, quérida!

      Excluir
  10. Lindo teu relato, não no sentido de ser belo, mas no sentido da superação que tu teve, e com certeza tua filha também terá.
    Eu passei por coisas diferentes, mas que também deixaram marcas, e vira e mexe elas voltam, e eu tenho de as superar novamente. Mas com tudo isso aprendi a ser mais forte, a ter mais coragem de encarar a vida, mesmo não gostando, tenho de admitir que tudo isso me fez crescer como ser humano.
    Em algum lugar eu li que as dores nos ensinam mais que as alegrias, no meu caso, foi assim mesmo.
    Sei que no momento sua filha sofre, e você por amá-la sofre também. Mas ela como a mãe, vai sair disso, e se tornar mais forte, mais valente, mais mulher, mais guerreira.
    Um abraço as duas, e que Deus as ilumine, dando-lhes força e coragem nos momentos mais difíceis.

    Abçs
    Mynda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mynda!

      Obrigada pela visita, pelo comentário carinhoso e incentivador.
      Bom receber este apoio dos nossos visitantes, seguidores, amigos: ficamos mais fortes e com menos medo de fracassar na empreitada.
      Meu pai costumava dizer que a dor nos lapidava, e creio ser verdade. Como você falou, somos melhores depois do sofrimento. Fazemos decobertas incríveis sobre as nossas capacidades, né não?
      Mais uma vez, muito obrigada!
      Bjssssssssssssss, quérida!

      Excluir
  11. Olá, Cléa, tem horas que a dor é tão intensa, tão sem explicação que não há palavras que confortem. Venho ao seu blog e lhe deixo meu abraço de solidariedade e que daqui, do meu silêncio, consiga lhe enviar tudo que penso e tudo o que desejo à você, à sua filha e aos netos. Não há dúvidas que dias bem melhores virão.

    Meu carinho, querida.

    ResponderExcluir
  12. Oi Cléa, é a Vi, a vida nos prega peças? sera? ou nos que fomos condicionados a acreditar que poderíamos prever nossos futuros..a vida é imprevisível, quando menos esperamos surge com uma novidade, as vezes terrível que parece que o peito vai explodir de tanta dor e outros vezes com uma alegria que nós faz acreditar que somos especiais..
    Agora é se levantar, não é fácil, mas vocês vão conseguir e lá na frente ao olhar o passado, chegaras a conclusão que foi o melhor, existem pessoas que não entendem oquê é amar, amar não é emoção, não é sensação, é fé, você acredita que ama e faz de tudo para preservar aquele amor, inclusive matar as nossas vontades, nossos desejos, tu como mãe sabe bem do quê eu escrevo, quantas vezes sepultou seus desejos em favor dos seus filhos?
    Um homem que não sepulta seus desejos nem a favor dos filhos, não sabe oque é amor, não tem fé, é vazio, fútil, triste, inútil, não é digno de ter uma família.
    Que Deus dê forças a ti sua filha e netos.
    Beijos,Vi

    ResponderExcluir
  13. Dodoca, me manda seu endereço no meu email ?
    Fiz um cartão e quero te mandar !!!

    Bjus 1000 minha querida !!

    ResponderExcluir
  14. Oiii, tdo beem?
    adoreii seu blog, muiito lindo
    de verdade!!!
    se puder...
    Visite Meu Blog, nele eu falo de tendência de Moda, novidades de Cabelo, Unhas e Maquiagem
    que mulher não gosta de dicas para cada dia ficar mais linda, não é mesmo?
    Espero qi visite e Goste!

    Desde já, Muiito Obrigado
    Daanih Malvas ;*

    * BLOG: http://danihmalvas.blogspot.com.br/
    FAN PAGE: https://www.facebook.com/Daanih.Maalvas
    TWITTER: https://twitter.com/danih_malvas
    YOUTUBE: http://www.youtube.com/user/Danitiele?feature=mhee

    **SEGUINDO SEU BLOG, SEGUE MEU TAMBÉM **

    ResponderExcluir
  15. Minha querida Cléa,

    Desta serra onde vivo quero te enviar a minha solidariedade em tua dor, reprisada e revisitada ao sentires a dor de tua filha...é difícil entender os desígnios de Deus e ainda bem que consegues ainda dizer Aleluia e é este teu brado que fará chegar ao Eterno as tuas dores e trará de volta a força necessária para dar amparo e apoio a tua filha e teus netos.

    Que o Natal te traga Paz e Harmonia...aceitação e muita Luz.

    Bjsssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  16. Oi boa noite...tenho seu blog nos meus favoritos e venho de vez em qdo aqui ver suas receitas.....adoroooo...sei do que vc ta falando passei por isso com dois maridos....mas passa.... só o tempo que ajuda !!!

    ResponderExcluir
  17. Querida Cléa, que saudades miga! Espero que as coisas estejam melhor por aí. Amiga passando pra deixar votos de um Feliz Natal e um Ano Novo abençoado, com muita saúde, paz, harmonia. Obrigada por sua amizade e carinho no decorrer desse ano. Que 20013 tudo fique melhor pra todos nós. Fique com Deus. Receba meu abraço afetuoso. Grande beijo

    ResponderExcluir
  18. Cléa,
    espero que esta lhe chegue em dias melhores, ao menos, mais calmos para vc, tua filha e os netos.
    Desejo que neste Natal se renovem os olhares e que o futuro mostre-se mais apaziguador.Que a paz do Menino-Deus lhes envolva e acalante por todos os dias do novo ano.
    Boas festas!
    Abraços,
    Calu

    ResponderExcluir
  19. Oi Clea, é a Vi, não poderia deixar de vir aqui te dar um abraço bem grande e beijocas..
    Seja forte,Deus é contigo!
    Feliz Natal, muitos beijos.Vi

    ResponderExcluir
  20. Olá minha amiga querida, hoje vim apenas desejar um 2013 Feliz pra você!

    Pense que ...
    "Para sonhar um ano novo que mereça este nome,
    você tem de merecê-lo,
    tem de fazê-lo novo,
    eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente.
    É dentro de você que o Ano Novo
    cochila e espera desde sempre."
    (desc. autoria)

    Façamos desse Novo Ano um RECOMEÇO!
    De Paz, Harmonia, Saúde, União e Amizade !!!

    Abraços
    RioSul

    ResponderExcluir
  21. Vim à net para encontrar novos amigos e ao mesmo tempo divulgar meu blog, encontrei o seu blog, e estive a ver algumas postagens e achei o seu blog muito bom, tenho de lhe dar os parabéns, pois é um blog que dá sempre vontade de vir aqui mais vezes.
    O meu blog é o Peregrino E Servo, se tiver tempo ou se desejar pode fazer-lhe uma visita e se gostar faça o sentir no seu coração, saiba porém que nunca deixei alguém ficar mal.
    Desejo paz e saúde para si e para o seu lar.
    Sou António Batalha.

    ResponderExcluir
  22. Oi Cléa, é a Vi, saudades de você, sempre estas nas minhas orações.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
  23. Oi Cléa, é a Vi, tá pensando que esqueci, oia eu aqui...
    Exaltar-te-ei, ó SENHOR, porque tu me exaltaste; e não fizeste com que meus inimigos se alegrassem sobre mim.
    SENHOR meu Deus, clamei a ti, e tu me saraste.
    SENHOR, fizeste subir a minha alma da sepultura; conservaste-me a vida para que não descesse ao abismo.
    Cantai ao SENHOR, vós que sois seus santos, e celebrai a memória da sua santidade.
    Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.
    Eu dizia na minha prosperidade: Não vacilarei jamais.
    Tu, SENHOR, pelo teu favor fizeste forte a minha montanha; tu encobriste o teu rosto, e fiquei perturbado.
    A ti, SENHOR, clamei, e ao Senhor supliquei.
    Que proveito há no meu sangue, quando desço à cova? Porventura te louvará o pó? Anunciará ele a tua verdade?
    Ouve, SENHOR, e tem piedade de mim, SENHOR; sê o meu auxílio.
    Tornaste o meu pranto em folguedo; desataste o meu pano de saco, e me cingiste de alegria,
    Para que a minha glória a ti cante louvores, e não se cale. SENHOR, meu Deus, eu te louvarei para sempre.Salmo 30
    Beijos,Vi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida e doce Vi,
      Como, como agradecer a tanto carinho? A tanto cuidado? A tanta oração?
      Minha querida, que as bençãos de Deus a cubram sempre!
      Bjsssssssssssssssssss, quérida!

      Excluir
  24. Olá amiga Brechique, tudo bem ?
    Bom, vim aqui matar a saudade dos seus textos sempre inteligentes e claro
    Desejo a ti uma semana de paz

    Abraços,
    RioSul

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As coisas vão caminhando, Thiago, caminhando.
      A vida não pára, graças a Deus!
      Semana de paz procê tb, Deus o abençoa e obrigada!
      Bjsssssssssssssss, quérido!

      Excluir
  25. Querida Cléa saudades de vc, espero que vc e todos estejam bem. Passando para deixar votos de uma Feliz Páscoa com muita paz e boas energias.
    OBS: Aquele email perdi, não tenho mais. Bjocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Josy querida,
      Tb tenho saudades... não desisti. Quero voltar, mas está difícil.
      Bjssssssssssssssss, Feliz Páscoa, quérida!

      Excluir
  26. Minha querida amiga, desculpe não ter te avisado antes sobre aquele email que perdi, deu uns problemas no meu computador, agora to com um novo e ta tudo certo, mas perdi um monte de coisa, só não perdi o blog por que eu fazia backup sempre, tenho tantas coisas pra te contar e provavelmente vc tbém tem, saudades amiga, nunca me esqueci de vc viu? Vc pode escrever naquele meu de sempre: (mariajosyg@hotmail.com) ta? Bjos amiga, ótima Páscoa pra vc.

    ResponderExcluir
  27. Oi amada!
    Espero que as coisas estejam bem por ai.
    Tive dias muito ruins, lembrei desta postagem... felizmente por aqui, tudo se ajeitou.
    Mas foi tão difícil...
    Não comento muito no blog coisas pessoais, mas passei por dias (meses) bem sofridos.
    Tudo se resolveu com bastante diálogo e estamos seguindo.
    Mande notícias.
    Grande beijo!!
    Andrea.

    ResponderExcluir
  28. Oi Clea, é a Vi, pensei que tinha um post novo, pois na minha barra esta aparecendo um com o nome de :um bicho, só que não consigo acessar..
    Mas vou esperar suas novidades.
    Beijos,Vi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vi, meu docinho!

      "Eu-bicho" só postei ontem, estava ainda no rascunho! Curioso!
      Mas aí está. O que acha?
      Bjssssssssssssssss, quérida!

      Excluir

Muito obrigada por participar do meu blog com o seu comentário.
Bjssssssssssssssssssssssss