sexta-feira, 17 de abril de 2015

Eu entendi...




...tudo errado! Justo eu, que me julgo espertinha!
Entendi... que você me procurava porque confiava em mim, confiava nas nossas conversas, validava as minhas opiniões à cerca da vida. Entendi... que me procurava porque queria um conselho, um esclarecimento, uma palavra que lhe desse um norte, uma clareza para tomar uma posição naquele mar de dúvidas. Entendi... que tinha dúvidas! Que se desnorteara, que julgava já não saber o sentido das relações humanas, da importância dos afetos em nossa vida. Entendi... que pensava desconhecer o que era, de fato, afeto!

Entendi... tudo errado! Você apenas brincava de ser gente! Você se aproveitava da minha velha arrogância disfarçada de "sei mais um pouquinho da vida"! Algo parecido (se é que não era mesmo isso) com: " Se ela acreditar na minha fragilidade emocional, na minha confusão interior, com certeza me apoiará! E sei que posso enganá-la, é crédula demais no homem que me exibi nesses anos: responsável, provedor, promissor! Acreditará!" e estava certo porque, de fato, acreditei em você!


Mas, naqueles minutos de conversa (e ainda por uns dias), senti-me como se fosse simples platéia. E não entendia o porquê de sentir-me assim! Atribuí, à sensação que me invadia, o fato de não querer aquela situação, de não acreditá-lo capaz de roer a corda, de saber da sua promessa feita há quinze anos, de tê-lo ouvido com atenção por muitas vezes. No entanto (que pena!), estava certa no modo como me senti e sentia: eu era apenas a platéia! Aquela platéia que você escolhera, a dedo,  para angariar a posição de "certinho": o pobre coitado que desiste porque cansou de lutar bravamente e por muito tempo. Que triste isso! E como dói descobrir que fomos utilizados para propósitos tão frios!


E lá se vão mais de dois anos desde então, desde que você posou de bom moço! Aquele bom moço que usa os ouvidos dos mais velhos, dos mais experientes, dos mais... tolos para o seu discursozinho de infeliz (que só se tornou assim, infeliz, quando o dinheiro, que podia diverti-lo, tinha que ser partilhado e o tempo, que poderia dedicar à sua diversão, era exigido pela família que crescia!). Dois anos depois ainda não encontrei outra versão para você. Frio, dissimulado, vaidoso. Como disse um amigo meu que o conhece (quer dizer, ninguém mais o conhece, supomos um dia que o conhecemos): um homem que comeu gelo! 


Cléa Siqueira

40 comentários:

  1. Voltou,com um texto lindo, cheio de conteúdo.
    Por mais que pensemos, não conhecemos a ninguém, Clea. Acho que só a nós mesmos, e ainda assim, conseguimos nos surpreender, mais dia, menos dia.
    Mas tudo passa, as máscaras sempre caem.
    Talvez o "antes só do que mal acompanhado" seja encarado com mais certeza, né?
    Beijo, bem-vinda e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida Lucia!
      Sempre muito bom contar com suas palavras amigas, lúcidas, incentivadoras, com seus alertas sobre nossa caminhada nessa terra de meu Deus!
      Amei encontrar o seu comentário!
      Bjssssssssssssssssssss, quérida!
      Deus a abençoa!

      Excluir
  2. Oi Cléa, senti sua falta!
    Não posso falar muito de sumiços, pois também ando assim, com esporádicas aparições na blogosfera...
    Mas, então, sobre o texto: quantas vezes somos plateia para os mal intencionados! Quanta decepção nesta vida, pensando conhecer o outro, sendo enganados por discursos eloquentes e atitudes vazias... Um dia as máscaras caem, mas parece que mesmo nessas horas a frieza dos desmascarados os impede de sofrerem! Nós, mais uma vez, é que sofremos... Mas vamos ficando fortes por conta da dor e um dia, quem sabe, seremos inatingíveis e inabaláveis! Mas nunca frios, gelados. Porque ser assim é pior do que sofrer. Quem sofre é feito de sentimentos e emoções. Quem não sofre, é vazio - e tem algo mais lamentável do que o vazio, o nada?!
    Ai, me prolonguei em divagações rsrsrs Seu texto me empolgou.
    É isso, querida, espero ver outros textos seus por aqui - some não! Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Suzy!
      Às vezes nos deixamos envolver demais pelo dia a dia e abrimos mão dos prazeres que temos. Ando assim, abrindo mão do que me dá prazer, sem perceber que o faço! Envolvo-me de um jeito tal nos acontecimentos imediatos que me deixo pra lá!
      Questão de disciplina, sei bem (mas sou indisciplinada, admito!).
      Você tem razão: também penso que a dor nos fortalece, ah, e nos torna mais criativos, pois temos que nos virar!
      Não sumirei (pelo menos não planejo, rssssssssssssssss) e vc também não!
      Bjsssssssssssssssss, quérida!
      Deus a abençoa!

      Excluir
  3. Penso que feliz ou infelizmente,ainda não sei, conheço esse moço.Só nos restou seguir e rezar para que doa menos, Brechique.Acreditar que todo aquele tempo juntos tenha ficado algo de bom para ele.Tenho tentado, já por uns 2 anos, me confortar, pensando que não há certo e nem errado.Tudo está bem como está.São apenas caminhos diferentes que escolhemos trilhar.Precisava ser assim?Penso que não.Enterrar marido vivo é muito doloroso.Sentir a falta de um amor que não existe mais e que ao mesmo tempo, pelo elo eterno que temos, nossos filhos, sou obrigada a conviver.Parece uma prisão sem fim.Vamos seguindo.Que ele seja muito feliz, assim como seremos.Há momentos em que o coração sente saudade dos sonhos de família, de todos nós reunidos na sala, na cozinha....ah e do amigo!!!Esse é que sinto mais saudade.Me enganei?Não vi?Não percebi a mudança?Quase todos dizem que foi isso.Que pena ou que sorte?Um ano rezando, acreditando que ele nunca, nunca seria capaz de fazer as crueldades que fez.Acreditando que ele pudesse estar influenciado por algum obsessor.Não.Me enganei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha flor de maracujá,

      Enganos. Ilusões... expectativas vãs.
      Pena, para mim, pena. Sempre sinto pena de um lar desfeito por tolice e de filhos criados dessa forma dividida. Mas entendo que são escolhas e quero crer que nessas situações de dor inesperada é que evoluímos como pessoas. Podemos escolher também: chafurdar na dor, na amargura, na mágoa ou crescer a partir daí.
      Ainda bem que vc escolheu crescer. E, como diz o povo: oração e caldo de galinha não faz mal a ninguém! Toda a oração que vc fez teve, e tem, um destino de construção e paz.
      O tempo mostra.
      Bjsssssssssssssssssss, minha filha!
      Deus a abençoa!

      Excluir
    2. Meu sincero agradecimento pelas lindas e sábias palavras, mãe.

      Excluir
  4. Oi Cléia!
    Bom te ver por aqui. Esses tipos sempre existiram no mundo, ruim é encontrar um tipo assim pelo caminho...
    Lindo um ótimo fim de semana para você.
    Bjosssssss.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, querida Bia!

      Estava sentindo muita falta daqui, mas me enrolei em mim mesma e não dava conta de voltar. Mas voltei!
      É, sabemos desses tipos e, como você disse, ruim é encontrar um deles pelo caminho! Dói muito! E lidar com essa dor, cuidar dela, desligar-se dela é um processo longo e requer muita energia, porque temos que, primeiro, deixar de gostar de quem fez a ferida. E não basta estalar os dedos ou virar a página.
      Mas vai acontecendo, acontecendo... até que a dor se desprende de nós!
      Ótimo fim de semana procê também!
      Bjsssssssssssssssssss, quérida!
      Deus a abençoa!


      Excluir
  5. Oi Cléa,
    Saudade \o/
    Que bom ler um texto seu.
    Realmente dói muito constatar que
    'fomos utilizados para propósitos tão frios!'.
    Muitas vezes pensamos que conhecemos bem uma pessoa...
    Mas como dizem: as pessoas não mudam, elas se revelam.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, minha querida Clauzinha!

      Saudades pra caramba, além da conta!
      Outro dia tentei comentar no seu blog, mas não consegui! Tb esse meu computador está um ó!!! Rsssssssssssssss
      É, tenho pensado sobre isso das pessoas não mudarem e sim se revelarem. Lembro daquele pensamento que diz que podemos enganar alguém por um tempo, por muito tempo, mas não por todo o tempo. Penso que foi assim que se deu. E doeu. E não vou negar: ainda dói...

      Bjssssssssssssssssssssss, quérida!
      Deus a abençoa!!!

      Excluir
  6. Oi, Cléa, gostei muito deste teu texto (gosto muito dos teus escritos todos...).
    Verídico ou apenas real, quem poderá dizer que nunca encontrou alguém assim pelo caminho?...
    Espinhoso é, doloroso também, mas temos de enfrentar com a força interior que nos anima e não nos desampara.
    Mais triste é quando são os "de casa", aqueles a quem nos dedicamos de alma e coração, com quem partilhamos tudo o que temos e tudo o que somos.
    E por muito que pensemos nunca encontraremos resposta para esta dura realidade.
    Aceita um abraço de muita estima da Bombom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Bombom, minha amiga, muito obrigada pela sua constância!
      A sua presença (ainda que da terrinha) é um presente lindo em minha vida!
      Disse tudo quando mencionou que é muito triste quando são os de casa, aqueles que confiávamos, confidenciávamos, nos dedicávamos, partilhávamos a vida!
      Mas, se não viesse deles, não seria essa dor que rasga e não teríamos que sair do nosso canto e buscar ajuda, consolo, forças. E não descobriríamos tantos outros seres de boa índole que nos acolhem e fortalecem. Assim como você, com suas experientes palavras.
      Bjsssssssssssssssssssssssssss, quérida!
      Deus a abençoa!

      Excluir
  7. Ontem tentei entrar aqui pelo Blogger e não consegui. Hoje vim procurar o link certo para ver o que se passa. Bom Domingo. Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida!
      Bjssssssssssssssssssssssssssss, quérida!

      Excluir
  8. Vim lá da Pepa e te li com atenção! Triste quando nos desiludimos e pior, com pessoas de "perto"... Escreveste muito bem! bjs, tuuudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica!

      Obrigada por ter vindo, obrigada por ter gostado, obrigada pelo comentário carinhoso!!!
      Bjssssssssssss, quérida! Deus a abençoa!

      Excluir
  9. Olá!
    Vim conhecer o seu cantinho, que vi lá na Pepa...
    Belo e triste texto, mas acontece e muito...
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Fã Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alessandra!

      Pepa e Vi são maravilhosas, né não?
      Obrigada por ter vindo, obrigada pelo carinho, obrigada pelo comentário carinhoso!
      Bjssssssssssssssssss, quérida! Deus a abençoa!

      Excluir
  10. Olá, Cléa! Que bom que voltou e agradeço sua linda visita.
    Amiga, a vida é cheia de alegrias, decepções e mentiras, e se não soubermos lidar com elas, se não tivermos preparadas para o tombo, ele será grande demais. As injustiças, as armações estão em todas as partes, e vindas das pessoas que menos esperamos, até perto demais. Magoam no começo. Mas essas são as lições da vida, muitas vezes injustiças, calúnias, difamações que nunca esperamos encontrar, encontramos. Mas o pior é partir para o embate. É muita 'chinelagem', como dizem por aqui. Muitas vezes no silêncio de nossas atitudes está a resposta. Siga a vida e deixe pra trás o que não lhe serve. No começo você se sente vítima, depois você esquece totalmente. E vê as coisas com outros olhos. Fez bem em voltar! Vida nova.
    Grande beijo, querida, bem-vinda novamente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Taís!

      Obrigada por ter vindo, obrigada pela atenção e carinho, obrigada pelas palavras.
      Comecei a escrever sobre isso há mais de ano, mas estava difícil postar. Postar significava reviver coisas que pensava ter domado, então evitava o confronto com a minha palavra escrita.
      Mas não costumo fugir dos meus temores, então, usei o que escrevera já há algum tempo e retornei ao blog - que me fazia muita falta!
      Tudo o que vc disse sobre as dores que sofremos no percurso da vida está certíssimo: a vida também é feita delas! E temos que passar por elas de qualquer maneira, a forma como o fazemos é que faz a diferença, né não?
      Bjsssssssssssssssssssssss, quérida, Deus a abençoa!

      Excluir
  11. Como assim escreveu e não avisou? Tá maluca?....kkkkk Olha que só vim por conta da Virgínia do Tacho da Pepa. Que desaforenta.....kkkkk. Tô brincando. Adoro seus textos, são perfeitos, tanto esteticamente falando quanto psicologicamente. Promete que não para nunca mais? Fiquei por demais feliz, muito feliz. Beijo grande e estou esperando o próximo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maristelinha do meu coração!!!

      Claro que avisei!!! Postei no face!!! Você que fica aí fazendo essas linduras e não deu conta de ver o meu aviso!!! Rssssssssssssssssssssssssssssss
      Ah, minha querida, não parei porque quis, é que fico meio quietinha, às vezes!!!
      Bjssssssssssssssssss, quérida, Deus a abençoa!!!
      Estamos na luta!!! Rsssssssssssssssssss

      Excluir
  12. Olá amiga que bom que você voltou, embora eu também estivesse ausente rsrs
    Mas é sempre bom reencontrar seus textos muito bem escritos e de ajuda no conhecimento
    Vê se agora ficamos mais presentes no blogesfera srrs

    Beijos
    Rafael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, querido Rafa!

      Obrigada, mais uma vez, pela presença gentil!
      Quer dizer que vc também estava sumido??? Rssssssssssssss É, mas não vamos mais sumir não, né, amigo?
      Bom que gosta do que escrevo, eu gosto muito das suas postagens!
      Bjssssssssssssssssssss, quérido!
      Deus o abençoa!

      Excluir
  13. Olá amiga que bom que você voltou, embora eu também estivesse ausente rsrs
    Mas é sempre bom reencontrar seus textos muito bem escritos e de ajuda no conhecimento
    Vê se agora ficamos mais presentes no blogesfera srrs

    Beijos
    Rafael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como já respondi acima...
      Bjssssssssssssssssssssssssssssssss

      Excluir
  14. Oi Cléa, é a Vi, comer gelo, fiquei imaginando essa criatura mastigando um cubo de gelo, me deu aflição..kkkkk
    Agente sempre pensa que conhece as pessoas, é por isso que sempre estamos quebrando a cara.
    Obrigada por responder a pesquisa no Tacho, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi, meu docinho,

      Realmente é uma imagem estranha "comer gelo", mas, quando a ouvi, percebi que era exata para a pessoa em questão!
      Quebramos mesmo e dói pra cacete, mas prefiro quebrar a cara porque fui decente com meus sentimentos do que ter a cara quebrada porque alguém a quebrou de ódio de mim! Rssssssssssssssssssssss
      Responder a pesquisa foi um prazer!
      Recebê-la aqui, prazer incontável!
      Bjsssssssssssssssssssssssssss, quérida!
      Deus a abençoa!

      Excluir
  15. A gente e não agente, digito rápido e sai tudo junto e misturado..kkkkk
    Beijos,Vi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ih, Vi, não se preocupe!!! Rsssssssssssssssssssss Acontece comigo tb!!!
      Bjsssssssssssssssssssssssssssssssssssss

      Excluir
  16. Eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee, adorei que voltou !!
    Muita gente acha que os blogs estão sumindo, que não há quem os leia... blá, blá, blá... pois eu acho que são nos blogs que temos vínculos mais fortes com as pessoas...
    Eu adoro seus posts, tão cheios de sabedoria e tão maravilhosamente escritos.
    Tá proibida de ficar só lá no face e esquecer do blog hein ?? srrsrs

    Bjus 1000 Dodoca !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, minha Pepita,

      Na verdade, verdadeira o Face tem me anestesiado! É um passatempo que procuro não levar a sério - a não ser com informações que considero relevantes e com os posts de quem amo (vc e a Vi, por exemplo). Tenho poucos amigos lá, alguns me solicitam amizade, mas nem consigo imaginar porquê: vou na página deles e vejo que têm mais de mil!!! Aí, nem registro!
      Ah, e tem aqueles pavões, né? Como dizem, "só observo"!
      Enfim, voltei!
      Bjssssssssssssssssssssssssssss, quérida!
      Deus a abençoa!

      Excluir
    2. Oi, minha Pepita,

      Na verdade, verdadeira o Face tem me anestesiado! É um passatempo que procuro não levar a sério - a não ser com informações que considero relevantes e com os posts de quem amo (vc e a Vi, por exemplo). Tenho poucos amigos lá, alguns me solicitam amizade, mas nem consigo imaginar porquê: vou na página deles e vejo que têm mais de mil!!! Aí, nem registro!
      Ah, e tem aqueles pavões, né? Como dizem, "só observo"!
      Enfim, voltei!
      Bjssssssssssssssssssssssssssss, quérida!
      Deus a abençoa!

      Excluir
  17. Olha eu aqui de novo, lendo e relendo cada linha dos seus textos.
    Sim, é verdade, leio mais de uma vez, para aprender com os seu dizeres, faz bem

    Beijos
    Rafael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Raphael,

      Bom que as minhas palavras sirvam de ensinamento. Gosto disso.Talvez porque sou professora e exerci a profissão por mais de trinta e cinco anos!!! Então me faz bem saber que não "preguei no vazio"!
      Muito obrigada, meu querido, vc me faz muito feliz!
      Bjssssssssssssss, Deus o abençoa!

      Excluir
  18. Olha eu aqui de novo, lendo e relendo cada linha dos seus textos.
    Sim, é verdade, leio mais de uma vez, para aprender com os seu dizeres, faz bem

    Beijos
    Rafael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bjsssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

      Excluir
  19. OI CLÉA!
    QUASE NÃO ACREDITEI QUANDO TE VI LÁ NO "SÓ PRA DIZER", POIS, ISSO SIGNIFICAVA QUE HAVIAS VOLTADO A BLOGAR.
    CHEGANDO AQUI, PENSEI ENCONTRAR UM DAQUELES TEXTOS, QUE TÃO BEM SABES ESCREVER, BEM HUMORADOS E ALEGRES E AO INVÉS DISSO, ENCONTRO UM TEXTO TRISTE, POIS NÃO HÁ NADA PIOR DO QUE NOS SENTIRMOS TRAÍDOS POR ALGUÉM EM QUEM CONFIÁVAMOS.
    SEI QUE VAIS SUPERAR ESTA DECEPÇÃO E VOLTARÁS A NOS ALEGRAR COM TEUS ESCRITOS REPLETOS DE BOM HUMOR E SABEDORIA.
    BOM ESTARES DE VOLTA, AMIGA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Zi, com certeza! Aprendi que não se cultiva tristezas, coloco-as de lado, abandono-as, mas primeiro preciso remoê-las, revirá-las, entendê-las (?).
      Voltei a blogar e não penso em parar. Sinto-me bem escrevendo, então... estamos juntas aqui, outra vez!
      Bjssssssssssssssssss, quérida, Deus a abençoa!

      Excluir

Muito obrigada por participar do meu blog com o seu comentário.
Bjssssssssssssssssssssssss